26 setembro 2016

Eu

0recados

Eu, eu mesmo...
Eu, cheio de todos os cansaços
Quantos o mundo pode dar. –
Eu...
Afinal tudo, porque tudo é eu,
E até as estrelas, ao que parece,
Me saíram da algibeira para deslumbrar crianças...
Que crianças não sei...
Eu...
Imperfeito? Incógnito? Divino?
Não sei...
Eu...
Tive um passado? Sem dúvida...
Tenho um presente? Sem dúvida...
Terei um futuro? Sem dúvida...
A vida que pare de aqui a pouco...
Mas eu, eu...
Eu sou eu,
Eu fico eu,
Eu...

(Fernando Pessoa)

20 setembro 2016

Deserto

0recados
                     No silencio da noite, eu me percebo pensando o quanto é difícil ser solitária. Não sozinha, bem longe disso, pois sei ser cercada de pessoas maravilhosas; nem desacompanhada, pois ainda tenho poucos bons amigos. Apenas solitária, só e um tanto quanto desorientada. É uma sensação vazia não se encontrar na presença de outras pessoas, que não querem outra coisa senão te fazer companhia na solidão da tua presença. É estranho ser vulnerável diante das pessoas que tentam te desvendar, quando você na verdade não sabe como se achar no meio desse pátio escuro e frio que é a solidão. A alma chega a doer, às vezes. Mas, na verdade, essa sensação me apavora. Apavora-me também a constante sensação de perseguição; pensar que isso pode me acompanhar por toda a minha vida. E expor-me parece-me ser ainda pior; é como dançar: todos estão ali para te ver, mas poucos estão realmente ali contigo para entender as estranhezas do teu ritmo. E antes de eu saber definir se gosto dessa dança ou se a repúdio, eu acabo me despertando para a única vida que pulsa dentro de mim: solidão.

08 setembro 2016

Coração partido

0recados
Eu já não sou mais a mesma pessoa de uns anos atrás. O amor tomou conta de mim e fez de meu corpo sua morada. Cada nervo meu queima ao sentir esse sentimento, tão puro e tão real, correndo pelas minhas veias. Esse mesmo amor, que chegou fácil e simples, fez-me feliz, abraçou-me e tomou toda a minha vida e minha alma por completo durante muito tempo. O problema é que ainda toma até hoje, mas agora não mais posso dividi-lo. Agora, eu estou por conta própria, com minha alma e coração em frangalhos, tentando esquecer alguém que não quero esquecer. Acredito que essas foram as duas coisas mais difíceis que tiver que fazer na vida. Deixá-lo e deixar de amá-lo.

Imagem de girl, legs, and photography

0recados

"Eu realmente acredito que, embora o amor possa ferir, ele também seja capaz de curar".

Um Porto Seguro

Dia nublado

0recados
Mais uma manhã se levanta lá fora, mas eu não encontro coragem para levantar também e apreciar a beleza desse novo dia. Minha mente acordou um pouco cinza e nublada, levemente atordoada pelos pensamentos e sentimentos difíceis da última noite, igualmente combinando com o dia lá fora, de nuvens pesadas e sol escondido, como logo pude perceber ao olhar pela janela.

Hoje eu acordei com vontade de esquecer tudo e manter minha mente fora do ar o dia inteiro. Pego, então, um livro que estava jogado na minha mesa, começado, mas ainda não finalizado, para desfrutar das palavras e da história que ali se encontram e assim conseguir desviar dos caminhos perigosos os quais a minha mente quer me levar, simplesmente para viver uma história que não seja a minha. Só por um momento, entrar na vida de um outro alguém para deixar de lado as minhas dores e feridas. Era ali dentro daquela vida que eu queria estar vivendo a minha, sendo outra pessoa que não mais eu, vivendo histórias diferentes das minhas e conhecendo lugares distintos daqueles onde me encontro. 

Uma página em branco, começando a contar do zero a historia de um personagem totalmente novo.

Imagem de book, girl, and lake

Daí então, começa a chover lá fora. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

(Re)inventando © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates