13 julho 2011

Inventário

Pouco tempo de muito serviu. As esquinas da minha solidão pouco a pouco encontravam-se nas tuas ruas esguias, aquelas nas quais um dia eu mesma já me encontrei. O tempo para quando a gente mais precisa dele, mas sorri enquanto a gente caminha. Debochado, suave, amedrontador. Me sinto dona de nada; nem da verdade, nem do amor. Pouco parece que mudou. Uma nuvem aqui, algumas folhas ali, mas tudo parece essencialmente o mesmo. A escuridão faz parte de cada elemento, sem pedir perdão, sem sentir desculpas, apenas remoendo cada pedaço, destruindo cada sorriso que um dia já esteve ali e nem ao mesmo para para se despedir quando me leva embora. Talvez ainda haja mais a descobrir; eu fujo apenas dessa vez para não descobrir a dor mais uma vez.

0 recados:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

(Re)inventando © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates